Fazendo uma hq: um pequeno passeio pelos bosques da criação

Como se faz uma hq?

Bem, depende.

Embora exista uma bibliografia especializada que apresenta métodos para a criação de uma história em quadrinhos (seja focando apenas no roteiro ou em todo o processo – roteiro, arte, diagramação, etc.), o passo-a-passo para fazer uma hq vai depender de quem a está produzindo.

Isso também varia de acordo com a quantidade de pessoas envolvidas – isto é, se a hq é feita por apenas um artista ou se há outras pessoas envolvidas.

Eu, por exemplo, mudo a forma de como planejar uma hq de acordo com o processo de produção da mesma. Explico: se eu mesmo for desenhar a minha história, não preciso fazer aquele roteiro básico que apresenta o texto dividido em descrição dos requadros (ambientação, ação dos personagens, onomatopeias, etc) e os diálogos: faço um esboço à lápis em papel A4 já com as ideias para as páginas e os textos e a partir daí vou ajustando até chegar ao que idealizei para a narrativa.

Se, por outro lado, vou enviar minha história para outro desenhista, faço o dever de casa mandando o roteiro padrão e algumas sugestões de narrativa visual – algumas eu indico que não devem ser alteradas e outras eu deixo livre para o desenhista.

E isso também varia de desenhista para desenhista: com o meu amigo Romo, por exemplo, geralmente faço o roteiro já quadrinizado, bem rascunhado, mas com indicações de texto, posicionamento dos balões e dos personagens, mas deixo totalmente aberto para que ele narre visualmente a historia como achar melhor – nesse caso, a confiança mútua é imprescindível!

TÁ, MAS… E NA PRÁTICA?

Continuar lendo Fazendo uma hq: um pequeno passeio pelos bosques da criação